Audiência Pública na FFF discute questões trabalhistas

Foto: Mauro Pedroso

Por: Heloisa Vieira

Com o objetivo de ampliar o conhecimento e discutir questões referentes à contratação de jovens aprendizes, o Ministério Público do Trabalho (MPT) realizou na tarde desta quinta-feira, 27/6, uma Audiência Pública no auditório da Fundação Florestan Fernandes. O evento foi aberto ao público em geral e reuniu empresários de Diadema. 

A coordenadora da Procuradoria do Trabalho, dra. Sofia Vilela de Moraes e Silva, explicou as particularidades desta modalidade de contratação e ofereceu aos empresários um panorama sobre as dificuldades que podem ser encontradas durante o processo de admissão destes jovens. “É preciso ter a noção de que as pessoas precisam ser capacitadas em um primeiro momento para conseguirem boas colocações no mercado de trabalho e, além disso, a empresa deve oferecer condições propícias para um desenvolvimento pleno”, declarou. 

Também estiveram presentes na audiência a diretora-presidente da Fundação, Margareti Sanches; a chefe do setor de inspeção do trabalho da Gerência Regional do Trabalho (GRTb) São Bernardo do Campo /Diadema, Maria Luiza Furquim de Almeida Vilar Feitosa; e a secretária interina de Assistência Social e Cidadania, Caroline Rocha. 

Programa de Aprendizagem Profissional

Durante pouco mais de dois meses, 46 jovens receberam capacitação por meio do Programa de Aprendizagem Profissional oferecido pela Fundação Florestan Fernandes. As orientações servem como uma base inicial para a entrada no mercado e aborda temas como a elaboração de currículos, comportamento em entrevistas e ambiente de trabalho, além de incentivar a contratação destes alunos em empresas da região.   

Os estudantes foram encaminhados ao Programa de Aprendizagem pela Secretaria de Assistência Social e Cidadania. Após a contração pela empresa, os alunos poderão retornar a Fundação Florestan para dar continuidade ao processo de aprendizagem por meio do Programa Jovem Aprendiz. 

“A Fundação Florestan Fernandes tem uma responsabilidade social com os jovens do município e a nossa satisfação é vê-los empregados. Encaminharemos os currículos destes 46 alunos para os empresários que estiveram presentes na audiência a fim de estabelecer este elo entre o jovem e o empregador”, revelou a diretora-presidente da Fundação, Margareti Sanches durante o evento. 

Jovem Aprendiz 

A FFF é a primeira instituição pública de Diadema a receber certificação do Ministério do Trabalho para integrar o Programa Jovem Aprendiz. Com a contratação, os jovens, de 14 a 24 anos, têm garantia de trabalho por até dois anos e recebem remuneração com base no salário mínimo. A jornada de trabalho do aprendiz não poderá exceder seis horas diárias, exceto para os aprendizes que já concluíram o ensino fundamental, que poderão trabalhar por até oito horas. 

Enquanto estão trabalhando, os jovens continuam frequentando o curso de “Preparação para o Primeiro Emprego” oferecido pela Fundação e também são acompanhados por uma equipe multidisciplinar da escola profissionalizante, composta por psicólogos, professores, educadores sociais e psicopedagogos.

Quando empregam os aprendizes, as empresas têm a chance de contratar pessoas já previamente treinadas e motivadas, e ainda atendem as exigências das cotas de contratação determinadas pela lei. Atualmente, 79 jovens já foram empregados e dois deles efetivados.