Cerimônia de encerramento do PAP

Na noite da última terça-feira, 30/4, no salão nobre da Chácara 3 Irmãos, aconteceu a cerimônia de encerramento do Programa de Aprendizagem Profissional (PAP), que contou com a presença do prefeito Lauro Michels, da presidente da Fundação Florestan Fernandes, Margareti Sanches, além de secretários do município, representantes do Ministério Público do Trabalho, professores, alunos, pais e responsáveis.

O PAP foi o resultado de uma parceria entre o MPT e a Prefeitura de Diadema, que envolveu a Fundação Florestan Fernandes e a Secretaria de Assistência Social e Cidadania (por meio do CREAS), no desenvolvimento das ações.
O projeto consistiu em dar oportunidade de aprendizagem profissional a jovens em vulnerabilidade.
Os jovens tiveram, durante sua trajetória na Fundação Florestan Fernandes, uma atenção especial dada por psicólogos e educadores com vasta experiência e tiveram, ainda, diversos módulos de aprendizado (cidadania, postura, comunicação, ética.

A senhora Francisca Raimunda Saraiva,que compareceu à solenidade para prestigiar seu neto, Vítor, destaca que “Ele agora quer fazer vários cursos. (Esse programa) foi um grande incentivo”.

A finalização dessa noite especial teve a entrega dos certificados de conclusão do curso aos alunos. A mensagem dos discursos da noite era de que aquela etapa deveria ser muito celebrada e que, agora, os próximos passos dependiam somente deles.
O aluno Nathanae, ressaltou que a oportunidade bateu, literalmente, à sua porta quando duas colaboradoras da assistência social foram à sua casa e sua mãe lhe disse para não perdê-la. Sobre o curso, ele revela que gostou “muito do jeito que os professores deram aula”.

CLIQUE E CONFIRA AS FOTOS DO EVENTO

A diretora Valquíria Batista Rocha Lombo, diretora de Proteção Especial da SASC, ressaltou que durante o período do curso, a coordenadora do CREAS Centro, Tânia Machado Aires, “foi posicionando a gente de um retorno positivo que os adolescentes trouxeram, talvez pelo método; por ter estabelecido um perfil mais inclusivo. Acho que dessa vez foi mais assertivo ter ampliado essas necessidades”.

A Diretora-Presidente da Fundação Florestan Fernandes ressalta a importância da iniciativa: “Esse Programa proporcionou, para mais de 40 jovens atendidos pelo Creas, iniciar uma formação profissional com foco também no resgate da auto estima, na formação cidadã além, é claro, dos módulos que os preparam para ingressar, como aprendizes, no mercado de trabalho.
É uma grande satisfação e orgulho para todos nós que esses jovens tenham agarrado essa oportunidade para estarem mais preparados para outra etapa de suas vidas!
Desejamos muito sucesso para todos eles!”

É importante ressaltar que a verba necessária para concretização do programa vem justamente das multas aplicadas, pelo MPT, às empresas que não cumprem a legislação.
De acordo com a Lei 10.097 de 2000 ou Lei do Menor Aprendiz, toda empresa, de médio a grande porte, ou seja, organizações que possuem 50 ou mais funcionários, deve contratar, para compor o seu quadro de colaboradores, de 5% a 15% de jovens na condição de aprendizes. A idade destes jovens varia entre 14 a 24 anos.