FFF recebe certificação para o Programa Jovem Aprendiz

9 de maio de 2018
Spread the love

Por: Iara Santos Luz

A Fundação Florestan Fernandes (FFF) foi certificada pelo Ministério do Trabalho para integrar o Programa Jovem Aprendiz. Com isso a escola poderá encaminhar e acompanhar jovens, de 14 a 24 anos, para empresas de Diadema em busca do primeiro emprego.

A oficialização do programa aconteceu nesta terça-feira, 8/5, às 9h, no Anfiteatro do Paço Municipal, com as presenças do prefeito de Diadema, Lauro Michels, e do diretor-presidente da Fundação, Cacá Vianna. Também estavam presentes, empresários, entidades convidadas e alunos da Fundação Florestan Fernandes, participantes do curso “Preparação para o Primeiro Emprego”.

Durante a cerimônia, o prefeito de Diadema, Lauro Michels, conversou com os jovens sobre o mercado de trabalho e  destacou a importância do engajamento social de cada um. “Estou muito feliz por fazer  parte desse momento e por ter a chance de contribuir para o futuro de vocês. Esse é um trabalho sério e que dará resultado. Espero que vocês aproveitem esse momento”.

Para o diretor-presidente da Fundação Florestan Fernandes, Cacá Vianna, a certificação da escola profissionalizante no Programa só traz benefícios para Diadema. “Além da Fundação Florestan ser a primeira instituição pública na cidade a ter a chancela que ajuda inserir jovens aprendizes no mundo do trabalho, também colaboramos com as empresas locais que, ao darem oportunidade a essas pessoas já preparadas para o primeiro emprego, realizam o seu papel social”, afirma o diretor.

Atualmente, 15 jovens aprendizes do curso “Preparação para o Primeiro Emprego” foram encaminhados para empresas da cidade para participar de processos seletivos.

Eles, junto com mais outros 97 jovens, fazem a formação, que tem duração de dois anos e meio de estudos, e aulas ministradas para turmas na parte da manhã e tarde. O curso composto por cinco módulos, com 160 horas/aula cada, permite aos jovens terem informações sobre cidadania, mundo do trabalho, meio ambiente, valores sociais e aprendizados em matemática e linguagem escrita.  Os módulos estudados são Formação Básica, Administração, Formação em Gestão, Informática, Inglês Aplicado, Web Designer e Robótica.

Quem busca uma chance para entrar como iniciante no mercado do trabalho é Emilly Vitoria Novaes Duarte Corradi, de 15 anos.  Estudante do segundo ano do Ensino Médio, ela cursa o “Preparação para o Primeiro Emprego” da Fundação e comemora a entrada da escola profissionalizante no Programa Jovem Aprendiz. “Foi muito bom a Florestan ter conseguido a certificação. Isso facilitará a entrada dos jovens de Diadema no mercado e as empresas vão ter pessoas motivadas para trabalhar. Eu faço o curso com esse objetivo”, afirma Emilly.

Programa Jovem Aprendiz – Criado pelo Governo Federal, o Programa Jovem Aprendiz garante trabalho por dois anos e jornada de quatro a seis horas/dia.  A empregabilidade é calcada nas leis trabalhistas vigentes e a remuneração tem com base o salário mínimo. Enquanto estão nas empresas, os jovens frequentam o curso de preparação oferecido pelas instituições autorizadas e que farão o acompanhamento dos beneficiados nas empresas. Esse trabalho é feito por uma equipe multidisciplinar composta por psicólogos, professores, educadores sociais e psicopedagogos.

A Lei Federal 10.097/2000 e o Decreto Lei 5598/2005 que regulam o Programa Jovem Aprendiz estabelecem que empresas de médio e grande porte devem ter de 5% a 15% de aprendizes em trabalho ou em estágio. Mas, empresas e comércio que não estão nessas categorias também podem contratar.

Com parque industrial formado por mais de 1.500 indústrias e um setor comercial consolidado, Diadema poderá ter mais  aprendizes trabalhando. A Fundação Florestan está fazendo contato com as empresas para que outros jovens se beneficiem com o Programa.

Quando contratam os aprendizes, as empresas também conseguem pontos importantes que refletem diretamente nas suas marcas. Entre eles, a chance de contratar pessoas treinadas e motivadas e ganhos de imagem junto à sociedade por aderir ao programa social. Empresas  registradas no “Simples” que optarem por participar do programa não terão acréscimo na contribuição previdenciária e isenção de multa rescisória, entre outros.


Spread the love